Categoria: Publicidade

Publicidade também é Cinema!

Publicidade também é Cinema!

Hoje vamos falar um pouquinho da realidade publicitária, que usa as mesmas ferramentas cinematográficas para se comunicar com o espectador. São inegavelmente complementares, mas com algumas peculiaridades:

Marcas cada vez mais procuram associações conceituais que se aproximam do cinema e filmes precisam de espaços publicitários para se pagarem. Ame ou odeie, um precisará do outro enquanto mundo é mundo.

Se há merchandising dentro de um filme, ele geralmente é sutil, para que o público não perceba. O foco é a historia e não a propaganda.E quando há uma publicidade que irá contar uma história para vender de forma subjetiva um produto, com um viés mais cinematográfico, deve também existir um cuidado para não exagerar em devaneios, não “viajar na maionese”, senão, a mensagem esperada não é passada.

E onde a @maquiagemnocinema entra nessa historia?

O maquiador publicitário é também um maquiador cinematográfico e deve estudar com afinco os personagens que trabalhará para que seja o mais próximo da realidade possível (ou o mais próximo da proposta).

Assim como o maquiador cinematográfico, o publicitário realiza, desde trabalhos em que deve representar a vida real até grandes caracterizações e criações de efeitos especiais (conhecidas lá fora como “makeup effects” ou “makeup fx”).

Resultado de imagem para life imitates art

A vida imita a arte e a arte imita a vida, não é mesmo? E quando estamos trabalhando cenas das vida real, temos que tomar muuuuito cuidado para não cair na empolgação e sair embelezando os atores quando a cena é, por exemplo, uma situação em que o personagem está em casa acabando de acordar. Senão acaba virando novela mexicana, a pessoa desperta trabalhada nos cílios postiços e no blush – o resultado é horrível e se perde toda a magia da realidade que se quer passar. Na maioria das vezes, acabamos é despenteando os cabelos e “demaquilando” para que a pessoa fique mais próxima da situação esperada pela cena.

Então, a partir de hoje, te convido a enxergar os filmes e as propagandas com outros olhos e pensar no trabalho estético que existiu por trás daquele personagem, mesmo se ele está “borocochô”, com aquela cara deprimente de quem passou o dia de ressaca ou de dor de cotovelo em casa, houve um estudo e um cuidado para ele ser apresentado desta forma.

Ah, e não podemos esquecer do elenco… Ator que é ator mesmo se preocupa com a realidade que a maquiagem está trazendo para o personagem, e não se ele está bonito… O comprometimento do maquiador(a) e do ator/atriz para que o personagem se aproxime do que foi proposto fará toda a diferença no resultado final do filme – ou do comercial.

Temos enfrentado um fenômeno atualmente, que achamos muito bacana, mas que deve-se ter um cuidado especial. Pessoas reais estão cada vez mais sendo colocadas nos elencos de publi para refletirem justamente pessoas reais nas historias. Mas, imaginem só, uma pessoa que nunca atuou geralmente chega cheia de expectativas com suas makes/cabelo e quando explicamos que não vamos fazer uma superprodução digna de levá-la à uma boa balada, elas se frustram e, às vezes, até ficam chateadas conosco, maquiadores! Gente, não é proposital! Agências, orientem aí a galera direito!!!

Brincadeiras à parte, além de tudo isso, muitos dos profissionais que atuam no cinema, pagam as contas com a publicidade… e não é só o maquiador… isso acontece com figurinistas, produtores e até diretores. “Fellini, por exemplo, fez publicidade. Carlos Manga, responsável por algumas das mais conhecidas chanchadas da Atlântida como Matar ou Correr (1954)Nem Sansão Nem Dalila (1955), trabalhou anos com publicidade. Afirmou Manga: “A diferença entre cinema e propaganda é que no cinema conto uma história em 90 minutos, enquanto na propaganda tenho que fazer isso em 30 segundos”. …No Brasil, alguns dos principais cineastas da atualidade, como Fernando Meirelles (Cidade de Deus), Breno Silveira (2 Filhos de Francisco) e Andrucha Waddington (Casa de Areia) ganharam experiência dirigindo comerciais antes de se aventurarem na tela grande.” Fonte: http://www.overmundo.com.br/overblog/cineastas-e-publicitarios-tudo-a-ver

A maquiadora Carla Carrasco, veterana na publicidade no Brasil, foi uma das responsáveis pelo movimento de mudança das características dos personagens entre os anos 80-90-2000, junto com outros maquiadores da época. Ela conta para o @maquiagemnocinema que as atrizes das propagandas usavam cílios postiços, delineadores, enfim, maquiagem pesada, e aos poucos o olhar dela e de outros maquiadores que atuaram nesta transição, foram mudando essas características e trazendo a naturalidade que vemos hoje. O que não aconteceu com as novelas mexicanas, por exemplo.

Hoje, vemos grandes produções na publicidade e vamos mostrar alguns exemplos para vocês!

A campanha publicitária “ Coca-Cola Brasil | 6224 Obrigados“, produzida pela O2 Filmes, é um exemplo de filme que conta a historia, como um curta-metragem, para vender uma marca e todos os figurantes, bem como os coadjuvantes, eram pessoas reais que representariam pessoas reais. A preocupação com a naturalidade aqui foi fundamental.

O filme “Mitsubishi All New L200 Triton Sport 2017 | Watermopilasgrado”, ganhou até prêmios internacionais e foi rico em caracterizações, assinadas por Carla e equipe, (e figurino assinado por Giovanna Moretto):

Elas também cuidaram da caracterização do elenco de apoio para o comercial abaixo, da Sky (#SKYéMais | Bar Lotado), produzido pela Saigon Filmes. É ou não é quase um curta?

A artista Carla Carrasco perdeu as contas de quantas produções já fez e rodou o mundo com publicidades de respeito. Um teaser: Ela aceitou uma entrevista com o @maquiagemnocinema e somos suspeitos para falar dela, mas contaremos o segredo… a fundadora do Blog é assistente dela e juntas também tem muitas coisas bacanas para contar. Então fiquem de olho, que vem novidade por aí!