Categoria: Maquiagem no Cinema

Maquiagem do remake de “Convenção das Bruxas” ganha destaque e viraliza nas redes sociais

Maquiagem do remake de “Convenção das Bruxas” ganha destaque e viraliza nas redes sociais

Anne Hathaway compartilhou o making of do dia em que tirou o molde (face casting) para a personagem “The Grand High Witch” em seu instagram e em poucas horas já haviam milhares de compartilhamentos.

Se você ainda não assistiu, confira:

View this post on Instagram

Everyone: It’s magic! Me: #TheWitchesMovie

A post shared by Anne Hathaway (@annehathaway) on

Quem nos acompanha sabe que estamos sempre falando da complexidade da maquiagem de efeitos especiais. E confessamos que ficamos emocionados quando um trabalho como este está na boca do povo!

A própria atriz está fazendo questão de divulgar essas cenas de bastidores, sempre exaltando as equipes por trás da criação: “O Grand High Witch foi criado numa grande contribuição entre os departamentos de figurino, cabelo, maquiagem, roteiristas, coach, efeitos visuais, dublês, diretores e eu.” (Anne Hathaway em entrevista para a People).

Latest Witches GIFs | Gfycat

E aqui no Brasil não foi diferente. Veja o comentário do site Splash (UOL):

“…Agora, da próxima vez que olharmos para a aparência bizarra da atriz no filme, já saberemos o trabalhão que deu para chegar lá!…”

(Splash – UOL)

Além do reconhecimento do público, toda esta repercussão nos coloca num lugar de protagonismo. Temos certeza de que as pessoas que viram o “behind the scenes”, verão o filme com outros olhos. Como sempre dizemos: Essa é a nossa luta!

Ah, não vamos deixar de reverenciar o filme clássico, em que Angelica Houston brilhou na mesma personagem – e a maquiagem de fx não ficou para trás! A própria Anne fez uma homenagem no seu perfil:

Hathaway gushed of the 69-year-old Oscar winner on October 9: 'Would you please take a moment to join me in celebrating Anjelica Huston's flawless and iconic turn as The Grand High Witch?'
'Who spoke?' In the trailer, Anne's character is seen floating but her version of The Grand High Witch is not nearly as grotesque as Angelica Huston's (pictured in 1990) eight-hour prosthetic job in Nicolas Roeg's 1990 version


Como é de praxe, acompanhe aqui o nome de todos os maquiadores, efeitistas, cabeleireiros, caracterizadores, prótéticos, e escultores que compõem o time imbatível do “Makeup Department” de “The Witches – 2020” (“Convenção das Bruxas – 2020“):

Makeup Department 

Marina Altomarecrowd prosthetic make-up artist/prosthetics effects technician: silicone runner
Linda Azmacrowd hair & makeup trainee
Alessandro BallacciCrowd prosthetic artist-Daily/Mould maker
Suzi Battersbycrowd prosthetic makeup artist: dailies
Aurora Beadleprosthetic effects technician: silicone runner / prosthetic makeup artist
Maisie Brooksdaily crowd trainee
Lucy Brownemakeup artist crowd
Nicola Buckcrowd make up artist
Robb Craferprosthetics and makeup artist
Rose Crockermake up and hair artist
Luigi D’Andreaprosthetic sculptor (kmfx)
J.C. Davishair department head: SC unit
Louise Dayfabricator
Dana Degancrowd junior makeup artist
Jennifer DrewProsthetics Artist: makeup artist
Hannah Ecclestonmakeup artist: crowd
John Fallowshair stylist
Hafasa Ghatemake-up junior: crowd daily
Catherine Grovemake up junior: crowd daily
Jo Grovercrowd make-up
Rachael Hallumdaily makeup junior: crowd
Steven Harrisprosthetics effects technician
Becky KertonCrowd Hair & Make-up Daily
Peter Swords Kingmakeup and hair designer
Brian KinneyDaily Crowd Prosthetics
Kristyan Mallettprosthetics designer
Jane McBennettprosthetic makeup artist: daily
Aimee Morgancrowd room hair and makeup trainee
Paula Pricepersonal hair & make up Artist to Anne Hathaway
Nikita Raecrowd make up & hair supervisor
Adrian Rigbymake up and prosthetics artist: dailies
Rona Skuodasmakeup junior
Thalia Sparrowcrowd hair and makeup trainee
Mariona Triascrowd make up artist
Kate WakefieldProsthetic Silicone Technician
Frances Darvell Whitecrowd junior makeup artist
Natalie Wickensprosthetic make-up artist

O remake será lançado nos Estados Unidos na próxima quinta-feira, pela plataforma HBO MAX. Aqui no Brasil, a Warner informa que estará “em breve nos cinemas”. Aguardamos ansiosamente!

Confira o trailer de “The Witches – Convenção das Bruxas“:

Bate Papo sobre caracterização e efeitos realistas no cinema de horror | Mari Figueiredo

Bate Papo sobre caracterização e efeitos realistas no cinema de horror | Mari Figueiredo

Maquiagem no Cinema, em parceria com o Instituto de Cinema entrevistou Mari Figueiredo, Caracterizadora e maquiadora de efeitos realistas.

O Instituto de Cinema, em parceria com a 2001 Indica e o blog Maquiagem no Cinema, promoveu um bate papo com as maquiadoras Mari Figueiredo e Mirella Oliveira, através de uma Live no Instagram do InC.

Essa live fez parte da programação especial do Mês do Horror no INC, e nossas convidadas foram especialmente chamadas para conversar um pouco com a gente sobre a caracterização e efeitos realistas no cinema de horror.

Mari Figueiredo é caracterizadora e maquiadora de efeitos realistas. Assinou filmes como “Mais Forte que o Mundo”, “Los Silêncios”, “Mormaço” e “Um Animal Amarelo”. Além disso, é ganhadora de dois prêmios Avon de Audiovisual.

Mirella é a responsável pelo portal de curadoria, marketing e pesquisa audiovisual “2001 Indica”, fundadora do portal de noticias e informações sobre maquiagem cinematográfica “Maquiagem no cinema” e sócia-proprietária do Ateliê e Estúdio MIRRA, espaço colaborativo que une fotografia, maquiagem e cinema como meios de expressão artistíca. Além de ser maquiadora de cinema e publicidade há 6 anos, Mirella trabalha há mais de 20 anos na indústria audiovisual.

Se você é iniciante nos efeitos, maquiador, caracterizador, simpatizante, cineasta ou até investidor, não perca o bate papo esclarecedor sobre essa profissão! Confira:


Bate papo sobre Efeitos Especiais no Instituto de Cinema

Bate papo sobre Efeitos Especiais no Instituto de Cinema

O Maquiagem no Cinema, em parceria com o Instituto de Cinema entrevistou Marcelo AMP, especialista em próteses, mocapes, adereços e efeitos especiais.

Saiba mais sobre a história do Marcelo:

“Meu interesse por filmes de terror, ficção e fantasia veio cedo e aos 12 anos de idade eu comecei a pesquisar e, aos poucos, estudar próteses, efeitos especiais e escultura. O interesse foi se desenvolvendo e com o tempo aprendi também a fazer maquetes, bonecos articulados e miniaturas. Em 1999, com 20 anos de idade, fiz um estágio no departamento de efeitos especiais da extinta Trattoria di Frame, o que me abriu as portas para o mercado profissional. Trabalhei como freelancer em diversas produções. No cinema atuei como protético e confeccionando adereços realistas de silicone.”

Na entrevista falamos sobre o mercado brasileiro e internacional, discorremos sobre os passos para a caracterização com efeitos especiais e até damos uma dica sobre investimentos para grandes estúdios.

Se você é iniciante nos efeitos, maquiador, simpatizante, cineasta ou até investidor, não perca o bate papo esclarecedor sobre essa profissão!

Melhor Maquiagem: Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2020

Melhor Maquiagem: Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2020

“Mesmo diante de tantas adversidades, estamos realizando o Grande Prêmio, e este ano vamos homenagear o trabalho dos milhares de profissionais que dedicam suas vidas a encantar as nossas vidas.Não foi fácil, mas o Grande Prêmio tinha que acontecer”, dizJorge Peregrino, presidente da Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais. O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é votado por profissionais das mais diversas áreas do setor que são associados à Academia, entidade aberta a toda a classe.

“O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro celebra novamente a excelência artística e a relevância cultural do cinema brasileiro, destacando os expoentes de uma safra de grande qualidade e repercussão”, afirma Sérgio Sá Leitão, Secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo. “A parceria com a TV Cultura e o Governo de São Paulo ampliao alcance e o impacto desta celebração, valorizando ainda mais, a despeito do contexto adverso, a nossa produção cinematográfica”.

O filme vencedor para a categoria “Melhor Maquiagem” foi “Hebe – A Estrela do Brasil”. Simone Batata é a artista contemplada!

“É com muita alegria que a TV Cultura abriga, neste ano, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em sua programação. Em um momento tão conturbado da cultura e, em especial, da cadeia do audiovisual em nosso país é fundamental que instituições como a nossa, os parceiros do prêmio e a Academia Brasileira de Cinema estejam unidos no reconhecimento do cinema nacional”, diz o diretor de programação da TV Cultura, Enéas Carlos Pereira.

O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2020 tem patrocínio da Sabesp através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Correalização: Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e Apoio da Spcine.Realização: Secretaria Especial da Cultura e Ministério do Turismo, e Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais.

Assista ao trailer de “Hebe – A Estrela do Brasil“, disponível no YouTube Filmes:

Grande Prêmio do Cinema Brasileiro: Confira os finalistas de MELHOR MAQUIAGEM

Grande Prêmio do Cinema Brasileiro: Confira os finalistas de MELHOR MAQUIAGEM

ACADEMIA BRASILEIRA DE CINEMA E ARTES AUDIOVISUAISDIVULGA FINALISTAS DO GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO 2020 E BACURAU É O FILME COM MAIS INDICAÇÕES, SEGUIDO DE A VIDA INVISÍVEL

A maior premiação do setor está confirmada, com homenagem coletiva aos profissionais da indústria e transmissão pela TV Cultura, no dia 10 de outubro.

A Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais acaba de divulgar a lista com os finalistas do 19º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, que será no dia 10 de outubro, com cerimônia transmitida pela TV Cultura. Ainda que sem a tradicional festa que anualmente reúne o setor, o GP resiste para, mais uma vez, celebrar a diversidade da nossa indústria, representada por todas as gerações de realizadores do país inteiro. A abertura dos envelopes com os vencedores será ao vivo, auditada pela PwC (a mesma que faz a apuração do Oscar), e o Troféu Grande Otelo será entregue diretamente na casa de cada um deles, depois da premiação.

Os finalistas concorrem em 32 categorias e foram escolhidos em votação pelos sócios da Academia – que, por abarcar produções de todo o setor, este ano passa a se chamar Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais. ‘Bacurau’, dirigido por Kléber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, é o longa com maior número de indicações (15 categorias), seguido por ‘A Vida Invisível’, de KarimAïnouz (14) e‘Simonal’, de Leonardo Domingues (10).

A lista de finalistas reúne mais de 200 profissionais indicados, 35 longas-metragens brasileiros e 10 longas estrangeiros (21 de ficção, 8 documentários, 3 infantis, 3 de animação, 5 internacionais e 5 ibero-americanos). Ao todo, este ano também estão na disputa 15 curtas brasileiros (5 de ficção, 5 documentários e 5 de animação); e 20 séries (5 de animação para TV paga/OTT, 5 documentários para TV paga/OTT, 5 ficção TV paga/OTT, 5 ficção TV aberta). Veja abaixo a lista completa de finalistas.

“Mesmo diante de tantas adversidades, estamos realizando o Grande Prêmio, e este ano vamos homenagear o trabalho dos milhares de profissionais que dedicam suas vidas a encantar as nossas vidas.Não foi fácil, mas o Grande Prêmio tinha que acontecer”, dizJorge Peregrino, presidente da Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais. O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é votado por profissionais das mais diversas áreas do setor que são associados à Academia, entidade aberta a toda a classe.

“O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro celebra novamente a excelência artística e a relevância cultural do cinema brasileiro, destacando os expoentes de uma safra de grande qualidade e repercussão”, afirma Sérgio Sá Leitão, Secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo. “A parceria com a TV Cultura e o Governo de São Paulo ampliao alcance e o impacto desta celebração, valorizando ainda mais, a despeito do contexto adverso, a nossa produção cinematográfica”.

Os vencedores serão escolhidos no segundo turno, que começa no dia 31 de agosto com votação entre os sócios da Academia. Em data que será divulgada em brevea votação popular pela internet será iniciada, para que o público eleja seu filme favorito entre os 15 longas brasileiros finalistas de ficção (drama e comédia) e documentário.

“É com muita alegria que a TV Cultura abriga, neste ano, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em sua programação. Em um momento tão conturbado da cultura e, em especial, da cadeia do audiovisual em nosso país é fundamental que instituições como a nossa, os parceiros do prêmio e a Academia Brasileira de Cinema estejam unidos no reconhecimento do cinema nacional”, diz o diretor de programação da TV Cultura, Enéas Carlos Pereira.

O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2020 tem patrocínio da Sabesp através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Correalização: Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e Apoio da Spcine.Realização: Secretaria Especial da Cultura e Ministério do Turismo, e Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais.


FINALISTAS DE MELHOR MAQUIAGEM – GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO 2020

ANNA VAN STEEN por Kardec

Assista ao trailer de “Kardec” (Filme disponível na Netflix):


BRITNEY FEDERLINE por “Morto Não Fala”

Assista ao trailer de “Morto Não Fala“, disponível no YouTube Filmes:



ROSE VERÇOSA por Simonal

Clique e confira a filmografia da maquiadora Rose Verçosa (IMDB)

Assista ao trailer de “Simonal“, disponível no Telecine Play:


ROSEMARY PAIVA por “A Vida Invisível”

Assista ao trailer de “A Vida Invisível“, disponível no YouTube Filmes:


SIMONE BATATA por Hebe – a Estrela do Brasil

Confira a filmografia de Simone Batata (IMDB)
📷 @jonastucci @tuccistudio

Assista ao trailer de “Hebe – A Estrela do Brasil“, disponível no YouTube Filmes:


TAYCE VALE por Bacurau

Assista ao trailer de “Bacurau”, disponível no YouTube Filmes:



GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO

O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é organizado e votado pelos próprios profissionais do setor, uma forma da própria classe celebrar o seu trabalho e dar o devido reconhecimento ao talento de seus profissionais. A premiação é anual. Contribui para a elevação e a promoção do cinema brasileiro junto à população e ao público do país, através do reconhecimento da qualidade técnica e artística de seus filmes e da confraternização entre os profissionais da indústria.

O processo de definição dos vencedores do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é dividido em duas etapas: indicação e premiação. A partir de 2004 a votação passou a ser feita via internet, pelos sócios da Academia, que recebem uma senha eletrônica para votar pela internet. O sistema tem a auditoria da empresa PwC.

Na fase de indicação são escolhidas as cinco obras e profissionais representantes de cada categoria que passarão para a etapa seguinte. A escolha é feita pelos sócios – através de uma cédula de votação eletrônica com a lista completa de todos os concorrentes. Terminado o processo de apuração do primeiro turno, uma nova relação com os cinco escolhidos em cada categoria é enviada aos sócios que escolhem, então, os vencedores. Nas duas etapas a votação é secreta e a abertura das cédulas, bem como a apuração dos votos, é realizada pela PwC.

Fonte: Site oficial da Academia Brasileira de Cinema


Makeup in Film: Renata Vilela´s full interview

Makeup in Film: Renata Vilela´s full interview

Renata Vilela kindly accepted the invitation to talk to our team and it was an unforgettable journey. So many good stories can be discoverd behind the scenes! And that only happens when one soul touches another soul … How many times dont´n we waste magical moments simply because we don´t see who is on our side? Or do we, as makeup artists, work with someone and forget that behind a beautiful face there can be a touching story? That’s why I love film industry, I love the relationships that set has given me. I believe this is how we can change this world, investing in human relationships, and that goes far beyond makeup, doesn’t it? I was moved by Renata’s story and I hope you enjoy it!

Maquiagem no Cinema (Makeup in Film): Have you always dreamed of being an actress? How did you start in the business?

I never dreamed of being an actress, actually. Me, my sisters and my parents came from a small city of São Paulo State (Barretos). My first contact with art was through jazz ballet classes. My mother thought it was important to put us in contact with art and transform our reality, because we lived in a very small apartment, in a not very nice place … My first teacher was Félix de Assis, an incredible teacher, graduated from the Municipal School of Ballet. He encouraged my mother… “Your daughters need to take classical ballet classes, because they have a perfect body for that…” (Look at that human look, right? It was beyond the skin color …) We could see the sacrifice he made to be in art, a huge desire to see those students challenging themselves… And then my mother took his advice and registered us to make an audition at the Municipal Ballet School, encouraged by him.

Once I got there, I didn´t feel a good environment… We didn’t have enough money to buy the appropriate items for the class (socks, sneakers, hairnet, etc.). I am the youngest (my older sisters are twins), and their schedule wasn´t the same. I remember wearing a white pink polka dot swimsuit, my mom put a ribbon on my hair. My shoes weren´t appropriated. My mom was unaware of this world and we also had no money, she did what she could… The important thing was to dance! I remember being isolated from all the other girls, I was the only black girl. Everyone looked at me as if I were an “ET”… I remember a board of teachers with a very rigid expression – I went through an assessment of potentialities (articulation, elasticity, strength, flexibility ), and I remember them being shocked by my physical structure, my feet, my lines. And they whispered …

At a certain moment they asked for a free dance… I saw that some girls already had some kind of experience. I believe they were in 1st or 2nd year of ballet school. There was no lightness in the air, no sympathy (classical ballet was like that at that time, the method was even more rigid as it is tody). Than the girls waltzed… And I danced anything! I was already wearing the polka dot swimsuit and what came to mind was that dancer from the music boxes (I didn’t even have that, we were poor, I remember we saw it in movies). I remember it and started spining, round and round and round, like a pawn!

I grew up inspired by lots of music, art, dance… My mother always said that we had to transform our reality. We had a sense of where we were standing, what was possible and where she was going with this thought.

Maquiagem no Cinema (Makeup in Film): Tell us a little more about your background and other challenges you faced from that moment on.

We used to watch a dance show on TV Cultura, and I was very impressed by one particular group. I did a research on those old phone books, found them and asked my mother to take me. She managed to get out of work on time, and took me there. It was an elite school. Once we got there, the teacher welcomed me very well, she was very kind. The students looked surprised, again, I was the only black girl. I remember that by the end of the class the teacher came to talk to me, and everyone was around us, giving me “that” look. The teacher continued talking about what the method was like, what I needed to learn, as the language was French. And, with a lot of patience, dedication and love, she managed to convince me and my mom that I could go on. As we left the school that day, I remember I said to my mother, “I´m gonna make it”. And she also said: “You will, I don’t know how I’m going to pay, but we will find a way”. Then we did it. With a lot of sacrifice, love and struggle, we made it!

Maquiagem no Cinema (Makeup in Film): What gave you the strength to go on?

I managed to study the Royal method of graduation from Classical Ballet… Then one day we went to see a show in the Anhangabaú Valley, with several companies (Black Swan, Ballet of the City of SP, República da Dança) and at the end, The Ballet Stagium presents a performance called “Saudades Elis e Batucada“, a real samba… so beautiful! Choreographed with the classical ballet technique… That hit me! Ancestry! Oh, it was so intense, me and my sisters were astonished… Than we see a black woman, solo dancer, arriving. Her name is Áurea Ferreira. We looked at each other and said: It is possible! I want to be in this Ballet! This happened on a weekend day… On Monday we were already there, at the Ballet Stagium… My sisters and I were very well welcomed. We had a long journey of study and dedication in this school … Geralda Bezerra de Araújo taught me all about Brazilian culture, discipline and dance in general. She gave me a new sight about dance, a humanized way to see it. At that time I was in two schools, we struggled to pay for it. But my mother was really happy, she was definitely fulfilled!

She kept saying: “Transform your reality! I couldn´t change mine, but you will change yours!” And our love for Ballet kept growing. Only one of my sisters continued. We joined many festivals and then we met a master called Isaura Gusman. She came from the National Ballet of Cuba. She taught at the Black Swan and Ballet Stagium School. It was amazing! A black female teacher (my first Jazz Ballet teacher was also black, but male). I was fortunate to have such strong references through dance. She brought a new meaning to my life, for being woman and black! She ended up leaving Ballet Stagium and opened up the Company Cumbre Of Dance, and I was there for 7 years.

Maquiagem no Cinema (Makeup in Film): Tell us about your experience in Musical Theater.

In 2004 I had a chance to be in an audition for Broadway´s Chicago version in Brazil, which was a very remarkable moment in my life!

One week of tests, several workshops, a completely new method of dance (Bob Fosse). Gary Christ, who was a disciple of Bob Fosse, was presented to us, he was in Broadway for a long time … I wasn´t approved, but I remember was amazed by me. I remember bringing a lot of personality to my performance. When we are in an audition we have to be with a good energy, we have to be prepared, so thay can see that it is possible to characterize this persona. And I remember it was very remarkable … I watched the movie, I was really prepared andsure I would be approved, but it didn´t happen.

And then, on a beautiful day, after 2 months of the musical’s debut, they called me asked me for a new audition (a girl left), and I was finally approved! That was a milestone in my career! That’s when I entered the professional world of art. I don’t even know if it was a dream coming true… althoughI was wishing so bad to enter that musical. I did dream about being a dancer. But being an actress and a singer was such a distant thing for me!

Before that, I was in fashion business, it wasn´t easy. The historical process, structural racism, the limitation was huge and still is. Today we can see a transformation starting.

So, that’s how I started in entertainment: Through Ballet! The test was singing and I had never had a class… I performed and I was applauded! I thought, “My God, do I have this kind of talent?” I was a stunned. “Was I applauded? Really?” I was kind of unaware of where I was stepping, of my talent.

Renata Vilela, Katia Barros and Claudia Raia in the Muscial “Sweet Charity Brazil”

Then, I realized I needed to improve myself. I started being approved in many auditions, one after another. My second musical was Sweet Charity, with Cláudia Raia. I was one of the main characters (me and Kátia Barros). The need to improve, to get in tune with the industry, was even more clear for me. I used to teach ballet, didn’t make enough money, and had no sponsor and realized I had to make an effort.

After Sweet Charity, I had the opportunity to be in “Os Produtores” (The Producers), by Miguel Fallabella, and soon after that I was invited to be in a TV Globo soap opera, written by Miguel and directed by Mauro Mendonça … The doors were opening for me. It wasn´t easy, it takes devotion – and money. But my mom´s energy was always on my mind (“You can do it, go, change your reality, embrace everything that comes from good, that will make you grow, and make you feel you belong”).

Than I had my first opportunity in TV. It was a new thing for me. I took theater and film acting classes. I had no idea how to put myself in front of the camera. But I had talent. Miguel saw it! And that´s why he offered me this part. This is how I felt working on TV: “Never make a mistake, you’re black”. It always seemed like the last opportunity, one shot. I couldn’t face it as one more experience. No time can be wasted. Some were good experiences, but some other frustrated me. That´s how it works. Those were the experiences that made me want to improve myself. TV was an element in addition to dancing, singing, acting … Then it started to awaken other interests: There are several paths in art to follow!


Renata Vilela acting on “OFICINA DE TV E CINEMA – TAKE A TAKE (Separação)”

Maquiagem no Cinema (Makeup in Film): Was it when you realized you had succeed in the career?

That´s when it became my livelihood. I’ve been in Musicals for 15 years now. And I love it, it’s a challenge. If an actor has a chance, he has to try it, because it is a place of the priesthood, discipline, care. We work with a franchise scheme here in Brazil, musicals coming from foreign countries. We have to deal with the competition, the standards… They are very concerned with building brand loyalty. Adaptations are not welcome, the profile is strict.


Musical “Ombela – A Origem das Chuvas” awarded by CBTIJ

Another great experience I had with Broadway was “The Lion King”. It was a milestone in my life. We started in 2013 and we were on for 2 years. Eight performances a week! Recognition, ancestry, a new meaning to our structures, our values. I met César Melo, who became my husband. He is an actor, singer, writer. We always encourage each other, we are always studying, developing projects. When we have the opportunity, we go to auditions together, we are always giving support to each other.


Character: “Sarabi”
Musical “LION KING” (Brazil)

Maquiagem no Cinema (Makeup in Film): Now, tell us a little more about your experience in film industry.

After soap operas, I started working on a feature film, which led me to develop such a passion for being on set. The way it is made, the dedication of all the professionals, the sensitivity within a direction, all of this touched me. I recently participated in two Netflix shows. One of them was “Omniscient”, which I had the opportunity to see a set directed by women, and scripted by a black woman! Shu Maria. This made me very happy. We feel safe, we feel we belong.

Maquiagem no Cinema (Makeup in Film): What have you enjoyed as a viewer?

Cinema has always been part of our life. My sister Rose had a dream to be a filmmaker. We used to rent movies every Friday, at a rental store in Copan. We used to watch all kind of films: Blockbusters, romance, cult movies… We used to go to the old Espaço Unibanco, Cine Sesc (there is where I watched “Death in Venice“, “Claire’s Knee“, and other films by Éric Rohmer), Cultural Center (where I watched “The Enigma of Kaspar Hauser”). At this time, I got to know, through my sister, Kieślowski’s work (Krzysztof), she was a fan and we used to watch his trilogy all the time.

Today I am focused on other issues. With maturity, engagement, you realize that you need to open up your perception of diversity, even more. Thanks to these new platforms, we are getting in touch with other worlds.

This is what I also think about Brazilian cinema. As a teenager I was not as interested as I am today. It gained greater visibility for my generation and the future ones, due to the quality of the stories, the scripts, which have become increasingly interesting. I see fantastic directors coming up. For me it feels like I´m being awakened to this new reality. It is good to know that our cinema has had more investments. And that goes for the Tv Shows as well. My favorite Brazilian works of this new generation are: Central do Brasil, Aquarius, Brother, Entre Nós, Irmã Dulce, Sequestro Lightning, Great Mystical Circus, Simonal.

My favorite movies at actual times are Moonlight, Rafiki, Family Matters, Parasite, Queen of Katwe, Timbuktu. I’ve also been following Indian cinema a lot. Through his filmography I learned, for example, about the struggle to find bathrooms in India, and I think: How cinema allows us to go so far and plays an important political and social role!

Some series have also impacted me: “Scandal”, which has Kerry Washington as the protagonist. It filled my eyes. It made me realize that it is possible to make cinema. When I heard that the director was Shonda Rhimes, I was very happy!

“Orange is the New Black” touched me by the diversity and power of those women. “How to Get Away With Murder” too, who is this woman? Viola Davis in such a mysterious character, that makes us reflect on so many issues!

Today I’m changing the way I choose a movie, it has to correspond to my career, even for me to understand what I want for myself, what is possible, what I aspire to as an artist. For besides the profession, a social function. Especially in these days it is very important to think about the space we want to occupy.

Maquiagem no Cinema (Makeup in Film): Speaking of social movements …

I’ve been watching a lot of Tv shows with my husband. And we have noticed an approximation of that reality. That look, you know? I am delighted with the subtleties of these performances, these actors … And ´m each day more passionate about it. Because it is a very big challenge. This brings you to your reality, at the same time that it creates this illusion and it is a great idea because it ends up bringing hooks for other seasons, these nuances, these silences, these times, these breaths, these subtexts that we are always in doubt… So, I want to be whenever I can on a film set.

And speaking of social movements, I saw this transformation right here, at home. My husband starred in two features. This gave us such a great motivation, it gave us hope! A strength to move on, to understand that this is the place we have to go, humanize our characters, bring stories that encourage people to understand that we can make it. Of course, there is a whole path, we live in very different realities, in terms of Brazil. But our generation is there, making things happen. I am grateful to know that this is a daily result of struggles, fights, and resilience. This is the word, resilience.

Maquiagem no Cinema (Makeup in Film): How was (and is) your experience with commercials?

My first one was in 1999/2000, for Mac Donalds, and then another one in 2003/2004, at a time that I needed, I was taking ballet class, company, it was a time of lean cows… I did a sequence of films for Pernambucanas, it was really cool. There was one that I will never forget. It was in 2011, at a time when I was very questioning, curious, seeker, I was in therapy (I still do), I was in a moment of many discoveries… It was a commercial for a cosmetics brand, and it was very special . The test was special. And it coincided with the audition for the soap opera. I was edited but I was stuck with TV Globo’s response, and I almost gave up on the commercial and the director was freaking out… I was just edited, and I said to the production: “Ask the director to find someone else”. It was really a very special test, I really expressed myself in a good way. The director was so enthusiastic and found no one else. I remember that he wanted to make two contracts, one for when the soap opera premiered, another if I was not approved. It was a very respectful commercial, the whole team, direction, wonderful energy…

What catches me sometimes is not even production, it is the customer, you know? Often, the client cannot understand that we are at a new moment in history. We always have to be prepared, I don’t mean armed, but prepared for the place you will occupy, as black women. We have not reached the point where our talent, competence, capacity counts. In each project, you discover how important it is to recognize it through maturity, the paths, take ownership of knowledge and know how to express yourself, always as long as it is respected too, right?

Makeup in Cinema: Talk about being a woman and black in Brazil

Feminism is a very broad issue, it has many different perspectives, we talk about access, right to life, mortality rate, violence rates, education and there are many important and striking issues. For example, the brutal murder of Congress woman Marielle Franco, voices broke out and we realized that it is a struggle. There is no setback, the “nobody lets go of anyone’s hand” and #blacklivesmatter are strong movements. And me, as an artist, am always here thanking my ancestors for life, for the opportunity, for understanding, for growing as much as I can. Honor and truly honor. I understand that my movement in film industry is a political movement, it is the movement of society. The pyramid shudders, you know? And there is something very important that I think – that is independent of belief – we come from a source, universal source. I have always believed that we are perfect, only at this stage of consciousness, not everyone has the capacity to perceive. To understand, we need to give up many things that have been imposed and valued at the highest level. We need to understand that we are able to create our reality, as we come from a creative source. Art represents this macrocosm a little, and I believe that we are capable, yes, and I am increasingly aware of my purpose as an artist, to be able to create, inspire and give a little hope. Art also dignifies us. In quarantine, my husband and I have been making videos singing. We had no pretensions whatsoever, but this is creating a very cool force, bringing us a little peace, a little air. The pandemic speaks so much about issue of breathing. The amount of information, living in isolation, the apparent social inequalities, all of this makes us create alternatives so that we can strengthen ourselves, and try to save ourselves. We hope to be more and more with that intention, since we need to go though all of this with mental, physical and moral sanity and that we can also transmit this creative energy, this divine power that everyone can access one day. I’ve been thinking about it a lot.

https://www.instagram.com/tv/B_dn_Zansaj/?utm_source=ig_web_copy_link

Maquiagem no Cinema (Makeup in Film): What are your projects and what is your vision for a future after this pandemic?

I was working a lot at the beginning of this year, quoted for a cool project on TV (Stop pandemic! LOL)… Now we don’t know when we’ll be back… Besides, my husband and I are going to release a single and I’m going to direct our video… We are in the process of creating… And I have 3 more projects for when this is over, but I still can’t talk… Wait for news!

That’s it, let’s feed our hope, daily, there are days when we’re not well, and we have to be patient.

Finally, I hope that all this mobilization that is taking place, especially at this time of the pandemic, this awareness and engagement with the black cause, I hope it does not weaken, that it is not just a fad, that is not lost sight of.

I appreciate the opportunity to share my story and that I can contribute and inspire more people through my experiences!

Workshop com Mari Figueiredo em São Paulo

Workshop com Mari Figueiredo em São Paulo

A maquiadora Mari Figueiredo, indicada ao prêmio de Melhores Efeitos Visuais pelo filme “Mais Forte Que o Mundo: A História de José Aldo” ministra workshop em São Paulo no mês de março!

Mari Figueiredo

O encontro é destinado à pessoas que querem ter um primeiro contato com a maquiagem de efeitos especiais, para quem já faz mas quer ampliar o olhar através de um outro processo criativo, ou para quem já fez o curso básico e precisa rever as técnicas.

Workshop
– Demonstração de efeitos práticos direto do kit de maquiagem
– Demonstração aplicação de prótese de silicone e bondo
– Bate papo sobre mercado, assistência em efeitos especiais e materiais.

Data: 23/3/2020
Endereço: Rua dos Bororós, próximo ao metrô São Joaquim (SP – Capital)
Valor: R$200,00
Mais detalhes, falar com diretamente com Mari, no telefone 19-98293-6767

O título “Mais Forte Que o Mundo: A História de José Aldo” está disponível na Netflix

Além do longa que recebeu indicação pelo Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em 2017, Mari assinou as maquiagens de filmes como “Los Silencios“, “Predestinado“, “Mormaço“, entre outros.

Confira a filmografia completa de Mari no IMDB:

Sesc Belenzinho oferece curso gratuito com dicas e orientações de maquiagem para o cinema

Sesc Belenzinho oferece curso gratuito com dicas e orientações de maquiagem para o cinema

Com quatro encontros, atividade é ministrada por Mirella Oliveira, maquiadora especializada em cinema e publicidade.

De 8 de fevereiro a 7 de março de 2020, o Sesc Belenzinho promove o curso de Maquiagem para Cinema. Voltada ao público a partir de 16 anos, a atividade ocorre aos sábados, das 10h30 às 13h30 e é gratuita, com inscrições prévias a partir do dia 4 de fevereiro.

Com conteúdos teóricos e práticos, bem como exemplos apresentados em vídeo, serão abordadas, ao longo dos quatro encontros, situações reais do mercado de trabalho da maquiagem na produção cinematográfica, além das técnicas específicas do departamento para a indústria de produção de filmes. Dentre os tópicos, estarão: aplicação da teoria das cores na maquiagem cinematográfica, estudo das personagens de um roteiro, diferenças e semelhanças entre cinema e publicidade, introdução a técnicas de caracterização e efeitos especiais, entre outros assuntos. Em todas as aulas haverá a parte prática.


Apesar de ser uma atividade melhor aproveitada por quem tem alguma experiência com maquiagem, as aulas são abertas para quaisquer interessados e entusiastas da área. É recomendável que os participantes tragam seu próprio kit de maquiagem.

Maquiadora especializada em cinema e publicidade, com graduação pelo Instituo L´Oréal Professionnel e aperfeiçoamento nas áreas de caracterização e efeitos especiais no Hollywood Makeup Lab, Los Angeles (EUA), Mirella Oliveira presta serviço para diversas produtoras de filmes e faz parte da equipe da maquiadora Carla Carrasco em São Paulo, atuante na área publicitária. Também ministra aulas em escolas de cinema e em seu espaço em parceria com o fotógrafo Rafael Cruz, o Ateliê & Estúdio Mira, localizado no Alto da Lapa, em São Paulo.

Foto/ Crédito: Rafael Cruz Fotografia, do Ateliê & Estúdio MIRA
Modelo: Priscila Nunes
Agradecimento: Águia Locações, por ter gentilmente cedido o espelho-camarim, oferecendo uma vivência mais realista das produções cinematográficas aos alunos do Sesc.

MAQUIAGEM PARA CINEMA
De 8 de fevereiro a 7 de março de 2020. Sábados, 10h30 às 13h30
Local: Espaço de Tecnologia e Artes
Grátis, mediante inscrições presenciais prévias a partir de 4/2 (terça), às 14h (Credencial Plena do Sesc) e a partir de 7/2 (sexta), às 14h (Público Geral)
Recomendação etária: 16 anos

Sesc Belenzinho
Endereço: Rua Padre Adelino, 1000.
Belenzinho – São Paulo (SP)
Telefone: (11) 2076-9700
www.sescsp.org.br/belenzinho

Estacionamento
De terça a sábado, das 9h às 22h. Domingos e feriados, das 9h às 20h.
Valores: Credenciados plenos do Sesc: R$5,50 a primeira hora e R$2,00 por hora adicional. Não credenciados no Sesc: R$12,00 a primeira hora e R$3,00 por hora adicional.

Para espetáculos pagos, após as 17h: R$7,50 (Credencial Plena do Sesc – trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo). R$15,00 (não credenciados).

Transporte público
Metrô Belém (550m) | Estação Tatuapé (1400m)

Assessoria de Imprensa Sesc Belenzinho
Poliana M. Queiroz | Carol Zeferino
(11) 2076-9762 | 2076-9763
imprensa@belenzinho.sescsp.org.br

Agradecimentos/ Apoio:

Curso de Maquiagem Cinematográfica e Entrevista com Bruna Nogueira

Curso de Maquiagem Cinematográfica e Entrevista com Bruna Nogueira


Bruna Nogueira, fundadora do Hollywood Makeup Lab em Los Angeles e Mirella Oliveira, fundadora do Maquiagem no Cinema ministram curso no Brasil

Em 10 encontros, sempre às segundas, quartas e sextas-feiras das 9h30 às 12h30, conheça as técnicas ministradas pelo Hollywood Makeup Lab, que forma profissionais para trabalhar com maquiagem e cabelo para Cinema e TV.


Programa do Curso:

  • Beleza e Cabelo para Cinema e TV
  • Efeitos Especiais para Cinema (cortes, queimaduras, hematomas, tatuagens, barbas, bigodes, careca e próteses)
  • Estudo de técnicas para criar a harmonia entre a maquiagem e o penteado na concepção da personagem.
  • Airbrush
  • Cores de pele
  • Maquiagem para câmera em HD
  • Como combinar paleta de cores da maquiagem junto dos departamentos de Arte e Figurino
  • Estudo e concepção das personagens do Roteiro: como ler o script e materializar a personagem em conjunto com os olhares do diretor e autor.
  • Como fazer maquiagem para a luz e como interagir com o diretor de fotografia.
  • Anamnese do ator e criação da personagem
  • Participação da maquiagem no estudo do elenco (Casting)
  • Preparação das ferramentas específicas para o set de filmagem.
  • Postura e comunicação do maquiador junto à produção e direção no Set.
  • Criação de Portfólio para a industria cinematográfica.


Docentes:


Com mais de 70 filmes em Hollywood e 10 séries de TV, Bruna Nogueira é uma das maquiadoras emergentes da indústria audiovisual americana. Entre seus trabalhos estão “CSI: Nova York”, “Teen Wolf”, e “Jogos Vorazes – Em Chamas” (EUA) e no Brasil “Meu Amigo Hindu” e “Abe”.
 
Além disso, se dedica em produções executivas, com projetos como “The Open House” (Netflix), “Summer Night” (Atlanta Film Festival) e “Duke” (Festival de Cannes). 

Formada em cinema na Escola Panamericana de Arte, Bruna trabalhou com produção artística no MIS (Museu da Imagem e do Som) e há mais de 10 anos integra o time de maquiadores da ‘Union Local 706’, cujos membros são autorizados a trabalhar em sets de filmagens em Hollywood e por todo o mundo.

Também é proprietária da conceituada escola de técnicas para maquiagem com efeitos especiais Hollywood Makeup Lab, que deu origem ao livro homônimo que escreveu. Bruna ainda é designer da linha de pincéis
Special FX Brush Set da Sigma Beauty. De jovem em início de carreira em Sampa à maquiadora artística de sucesso em Hollywood, Bruna trilhou um longo caminho para construir a bagagem e expertise que procura dividir com aspirantes e profissionais de cinema. É dessa troca nos famosos Makeup Labs que ela divide suas experiências, inspirando diferentes
gerações de maquiadores a seguir seus sonhos.

Mirella Oliveira
Mirella Oliveira

Maquiadora especializada em cinema e publicidade, com graduação pelo Instituto L ́Oréal Professionnel e aperfeiçoamentos nas áreas de caracterização e efeitos especiais pelo Hollywood Makeup Lab – Los Angeles. Atualmente presta serviço para as maiores produtoras nacionais, fazendo parte da equipe da maquiadora Carla Carrasco em São Paulo-Brasil, que representa papel importante de atuação na área publicitária. Atua, também, em longas-metragens, fazendo parte da equipe de Bruna Nogueira, autora do livro Hollywood Makeup Lab e fundadora da escola de mesmo nome, em Los Angeles, nos Estados Unidos. Mirella Oliveira, além de maquiadora, é fundadora do Blog “Maquiagem no Cinema” e possui grande vivencia na área corporativa e acadêmica, é formada em Psicologia e pós-graduada em Administração de Recursos Humanos pela FAAP, atuando também como executiva na administração do site da 2001 Vídeo.

Para saber detalhes do curso como agenda e valores, clique na imagem abaixo:


Confira a entrevista com Bruna Nogueira:


1) Como foi sua trajetória, desde sua formação no Brasil até se tornar maquiadora artística em Los Angeles?

Bruna Nogueira: O Brasil me deu uma grande base para me tornar o que sou hoje nos Estados Unidos: frequentei a Escola Panamericana de Arte, trabalhei no MIS, em produções nacionais. Tudo isso agregou muito quando cheguei nos EUA, onde ingressei de verdade no universo cinematográfico. Ganhei confiança para entender a visão de um diretor, participar da criação de um personagem, foi um upgrade na minha realidade, no meu aprendizado. Hoje sei produzir, conheço a fotografia.


2) A atuação na sua área é mais abrangente do que a maioria das pessoas pensa, vai muito além de ser apenas “maquiadora”. 

BN: A maquiagem vai muito além, é como você cria um personagem, é entendê-lo, suas cores e como iluminá-lo num grande “espelho” que é a tela de cinema. É preciso ter um conhecimento incrível de cores e luzes, nisso a faculdade de cinema que fiz no Brasil me ajudou muito. A gente cria uma ilusão para uma luz, para ficar bonito no cinema. Não é só maquiagem, criamos um personagem com a visão do diretor – e como refletir essa visão é um trabalho muito mais intenso, tem que ser delicado e limpo, com a realidade do personagem refletida ali. Muitas vezes vemos uma maquiagem pesada, e ali não tem uma historia. No cinema temos a maquiagem clean, mais realista, e temos a maquiagem “suja”, de efeito, com sangue, sujeira. Em ambas, tudo ali tem um sentido, uma razão de ser.


3) O que te inspira no seu trabalho?

BN: Usamos as imperfeições para que a maquiagem seja realizada, o olho tem que ser claro, limpo. Enfim, o maquiador no cinema tem que estudar e estar aberto pras novidades, dando continuidade a seu aprendizado. Tem que ser visionário, enxergar além do óbvio, com o olhar das lentes como sua prioridade. Maquiagem eu aprendo todos os dias, e digo que não faço somente a maquiagem, eu faço efeitos especiais, cabelo e estudo muito a luz e as cores. Estou sempre aprendendo a pintar ou esculpir, pois quem faz maquiagem para cinema tem que ter um histórico de vida e muitas experiências.

Quando um diretor te propõe um tipo de trabalho, você precisa ter muita confiança e bagagem para assumir uma responsabilidade que vai muito além do que você imagina, e ter consciência do que o diretor espera, assim como sobre o investimento naquele filme. É a pratica e o estudo que vão determinar seu sucesso e é assim que se chega à perfeição. Enfim, o que te faz um maquiador de verdade, nessa área, é sempre estar aberto às novidades, praticar muito, saber ouvir e não achar que sabe demais.


Passei por uma fase em minha vida em que tive vários maquiadores que admirava e achava incríveis, mas cada um tem sua arte. Por exemplo, não é minha especialidade fazer body paint. Me inspiro em todas as pessoas que vieram antes de mim, em quem faz uma careca maravilhosa ou uma barba realista, ou que cria um monstro maravilhoso. Me inspiro em todos eles, mas no final é sua história, tem algo de mim ali? Sou o reflexo de todos eles, o céu é o limite e a perfeição vem com a prática. Ao mesmo tempo em que nos inspiramos nesses profissionais incríveis, precisamos olhar dentro de nós e encontrar essa luzinha que nos inspira a realizar o nosso melhor.


4) De onde surgiu a ideia de escrever “Hollywood Makeup Lab“? 


BN: Foi uma coisa incrível. As portas do cinema se abriram para mim através da maquiagem, e em 3 anos e meio passei a fazer parte da MPAA (Motion Picture Association of America), que é algo muito difícil de conseguir nesse meio – ainda mais em tão pouco tempo. Então, ao invés de investir em fotografia e ganhar dinheiro com capas de revista ou casamentos, investi meu trabalho em filmes de estudantes que ganharam visibilidade e me levaram ao time de maquiadores da ‘Union Local 706’. Eu era muito jovem, ainda não falava bem inglês e tinha de competir só com feras da área, e então veio a ideia de criar o “Hollywood Makeup Lab”, composto por 10 dias intensivos de workshops com os melhores do meu ofício. Em um dia, por exemplo, vinha o Ed France, o melhor maquiador de careca, noutro o Don Blake para cabelo, e participavam alguns dos melhores maquiadores para ensinar sua arte a pessoas de todo o mundo. Os maquiadores precisavam passar por um teste que exige conhecimentos de cabelo, cicatrizes, etc, passei e tive a ideia do livro. Por que não ensinar a profissionais sem experiência com efeitos o trabalho em séries de TV como “Teen Wolf” ou “CSI”?


O projeto cresceu de uma forma tão grande que fui procurada por uma publicitária de Nova York querendo escrever um livro sobre maquiagem baseado nos workshops. Falei: olha, vocês escolheram a pessoa errada, porque eu não sei falar inglês direito e muito menos escrever um livro. Encontraram então a Diane Hamm para escrever o texto final e fizemos o livro em 1 ano e meio. O mais engraçado foi que disseram “Bruna, achávamos que íamos fazer um livro e não um filme inteiro”, e foi assim que nasceu o “Hollywood Makeup Lab”, e sou muito agradecida por isso.


5) O livro faz parte de uma faceta importante de sua carreira, que é dividir conhecimento, suas experiências, também por meio de cursos… 

BN: Acredito que é muito válido ter um curso de cosmetologia, aprender cabelo, aprender a “fundação” de todo o corpo primeiro. A maquiagem é só um complemento de quem faz cabelo. Na verdade, fazer só maquiagem ou entrar num curso específico de maquiagem não vale tanto à pena se você não souber fazer cabelo. Vai muito além disso e para quem quer aprender efeitos especiais não precisa investir muito dinheiro, pode ser um curso rápido, entende? Pois se você aprender a fazer careca um dia e depois praticar, com o dinheiro que ganhar para fazer uma maquiagem de efeito é possível investir em um LAB. Quem investe muito dinheiro, uma fortuna, para estudar numa escola de efeitos, pode acabar desperdiçando suas economias, porque na verdade você não aprende, guarde seu dinheiro para investir em tua carreira, arrumar emprego nos laboratórios onde se criam as ideias e projetos… e praticar muito.

Aprender com pessoas diferentes todos os dias, com ideias diferentes. Informações de fontes variadas, e não investir numa só escola.

Bruna Nogueira, com uma de suas criações, durante um de seus laboratórios de maquiagem


6) Você já trabalhou tanto em produções independentes como em grandes filmes hollywoodianos. O quanto o tamanho de cada uma interfere no processo de um maquiador?

BN: Trabalhei muito em filmes independentes e ainda continuo, porque foram eles que me trouxeram pra grande tela do cinema, então a gente sempre tem que lembrar dos pequenos, é a partir deles  que nos tornamos grandes e, infelizmente, muitas pessoas que crescem no meio se esquecem disso, de onde vieram, de quem realmente somos.

Imagine, em um projeto de 1 milhão de dólares ou num projeto de mil dólares, você tem que se encaixar naquela realidade, você não cria uma determinada maquiagem como um padrão ou a adapta para aquele investimento. Sua responsabilidade é uma só: a maquiagem deve ter a mesma excelência, a mesma qualidade, tanto em um trabalho menor como em um maior, pois, é teu nome, a tua arte que será avaliada. Muitas vezes questionam que seu valor é muito alto, não é essa a questão, mas sim a busca dessa perfeição. Tenho noção dessa grande responsabilidade e, a partir do momento que assumo isso, o trabalho vai surgindo, sendo criado, nascendo e crescendo dentro de mim… até chegar ao resultado na tela. É como o trabalho de uma bailarina, que sempre busca a perfeição.

7) Como foi trabalhar com Willem Dafoe e, especialmente, Hector Babenco em seu último filme?

BN: Trabalhar com o Willem Dafoe foi incrível porque era um ator que sempre admirei muito e, ainda mais no Brasil, em um ambiente que não era tão familiar para ele, tornou a experiência ainda mais desafiadora. No Brasil teve que ser na cara e na coragem, com a confiança de que eu faria um bom trabalho. Antes de mais nada, foi uma loucura receber o convite, uma ligação, para fazer um trabalho para quem? Hector Babenco, uma lenda do cinema. Ele escolher uma pessoa que vem do outro lado do mundo, que ele nunca viu, para fazer uma versão da vida dele. Tive essa honra, de fazer seu último filme, ainda mais sobre a vida dele! Acho que foi uma das grandes oportunidades que tive no Brasil, esse trabalho veio para provar que estou no caminho certo. Além de ser escolhida por um diretor que fez tantos filmes importantes para a história do cinema, tive a honra de transformar ele no Willem Dafoe. Falam que o Babenco é difícil, mas trabalhar com ele foi incrível, era preciso apenas ouvir o que ele tinha a dizer. Foi incrível e a melhor experiência que eu podia ter no meu país.

Último filme da carreira de Hector Babenco, MEU AMIGO HINDU narra a luta de um cineasta famoso, Diego (Willem Dafoe), para sobreviver a um tumor em estágio avançado. O delicado trabalho de maquiagem de Bruna Nogueira — fundamental na caracterização do ator principal e sua degradação física na tela — foi indicado ao GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO 2017.

Outra experiência importante foi estar dentro de um hospital por alguns dias, acompanhando a jornada do Babenco, observando e convivendo com os pacientes num momento tão delicado da vida dele. imagine a responsabilidade de representar esse momento do diretor em um ator, o quanto isso pode ter mexido com ele – e ainda ter sua aprovação.

8) Fale sobre a relação de cumplicidade criada entre atores e maquiadores. 

BN: Eu acho que é importante, pois nós criamos os personagens, ficamos com os atores 24 horas, basicamente somos babás deles, desde a hora que chegam no set até a hora que vão embora, trabalhamos no rosto deles o tempo todo. Tem que ter paciência, bom ouvido, tratá-los com muito amor, com atenção — eles estão sensíveis –, e também dar o espaço que eles precisam. Dar confiança para que saibam que estamos ao lado deles o tempo todo, e cuidar bem deles.

9) Com o avanço das novas tecnologias, criou-se também um dilema para o pessoal da sua área, com as imagens em alta definição expondo ainda mais detalhes ou mesmo imperfeições do rosto… 

BN: Acho que gosto da câmera HD, porque ela mostra a realidade, a verdade que nós somos, a verdadeira fotografia dos nossos rostos, não a imperfeição, pois nós não somos imperfeitos. Exige-se muito mais da maquiagem, que deve ser mais clean, definida e sem exageros. Antigamente, tínhamos que olhar um rosto para ser emoldurado, são duas técnicas diferentes. Eu simplesmente amo essa tecnologia, considero um super avanço, e, na realidade, quem é artista deve estar preparado para pintar em qualquer tela.

Participante de um dos Makeup Labs criados por Bruna

10) Há algum tipo de maquiagem que você goste mais de fazer?

BN: Não existe nenhuma maquiagem que eu tenha preferência em fazer, adoro qualquer tipo dela. Se tenho que fazer efeitos especiais, darei 100% de mim, se é maquiagem normal, filme grande, filme pequeno, um casamento, uma criança, enfim, para mim cada trabalho é um trabalho, tem o mesmo valor. Não acredito que uma bailarina só dance melhor quando está sendo bem paga. Nenhum ator é bom só porque está sendo bem pago, não é por aí. É pela sua arte.

11) O que vem por aí para Bruna Nogueira?

BN: Está sendo um ano incrível, com filmes em que tenho mais oportunidade de participar da produção e me dedicar à minha paixão de fazer cinema. Algumas novidades, como um novo longa com Dylan Minnette (estrela de “13 Reasons Why”) chamado “Open House”, e um filme de terror que vai ser a sensação do Halloween, “Tragedy Girls”. Há propostas em andamento para projetos no Brasil, em Atlanta e Roma. E tem muitas novidades pro ano que vem, fecho o atual com muita alegria e muitos finais felizes.

Ainda estou lapidando meus caminhos… que venham os gigantes — e os Oscars que me aguardem (risos).


Texto e entrevista por Eduardo Lucena, do Blog 2001 Indica (2001 Filmes)